The trouble with “primitivism”. Iberian and transatlantic contexts | novo e-book será publicado pelo IHA

António Areal, O Fantasma de Avignon 5, 1967. 100 x 170 cm, tinta de esmalte s/ platex. Col. CAM – Fundação Calouste Gulbenkian. Fotografia: Paulo Costa (uso da imagem gentilmente autorizado por Sofia Areal e CAM-FCG)

 

O IHA vai publicar um novo e-book que resulta da conferência internacional que marcou o encerramento do projeto PIM – Modernismos Ibéricos e o Imaginário Primitivista / Iberian Modernisms and the Primitivist Imaginary [PTDC/ART-HIS/29837/2017], decorrida nos dias 26, 27 e 28 de maio de 2022, no Colégio Almada Negreiros, com o título The trouble with “primitivism”. Uses of the past in iberian ​and transatlantic modernisms.

O termo “primitivismo” está ligado à modernidade e aos modernismos, e foi um instrumento importante na produção da grande narrativa do século XX na história da arte. Foi utilizado por críticos de arte e pelos próprios artistas, e pelos historiadores de arte que o usaram em livros, artigos, museus e catálogos. O termo “primitivismo” considerava um certo uso do passado, implicando diferentes tipos de compreensão do que esse passado tinha sido ou poderia ser quando reencenado no presente. Vários especialistas já reconheceram e discutiram o problema do “primitivismo” enquanto parte dos modernismos e da sua historiografia. Este livro contribui para esta problematização, incluindo estudos pioneiros que tratam dos usos do conceito de “primitivo” nos modernismos ibérico e transatlântico e as suas implicações políticas, históricas e estéticas.
Mais novidades em breve.

 


“The trouble with ‘primitivism’. Iberian and transatlantic contexts”
Editoras: Joana Cunha Leal, Mariana Pinto dos Santos, Noemi de Haro e Petra Šarin (GI ArtTHC)
Editora: Instituto de História da Arte, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade NOVA de Lisboa
Ano: 2022